top of page

Sócio de Flávio Bolsonaro obtém liminar para não ser investigado

A decisão do desembargador Antônio Amado é provisória e pode ser revertida pela 3ª Câmara Criminal


O desembargador Antônio Amado, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, concedeu nesta terça-feira (21) uma liminar em favor do empresário Alexandre Santini, sócio de Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), para paralisar a análise de provas contra ele na investigação que tem como alvo o senador.

O magistrado impediu que o Ministério Público analise as provas obtidas a partir da decisão do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, que se referem a Santini. Ele foi alvo de busca e apreensão em sua residência, bem como teve os sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados.

A decisão é provisória e pode ser revertida pela 3ª Câmara Criminal.

Santini é sócio do senador em uma franquia da Kopenhagen. A Promotoria suspeita que a empresa foi usada para lavar R$ 1,6 milhão do dinheiro obtido por meio da rachadinha no antigo gabinete do senador na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

A decisão beneficia apenas ao empresário, sem afetar a análise de dados dos demais alvos do procedimento.

Amado determinou a paralisação porque Itabaiana não permitiu o acesso da defesa do empresário à íntegra do processo. O desembargador afirma em sua decisão que as medidas cautelares contra Santini foram legais e justificadas, mas que seus advogados têm direito a acessar todo o conteúdo da investigação.

Santini foi alvo de busca e apreensão em sua residência em dezembro do ano passado –assim como outros alvos– e teve os sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados. O MP-RJ suspeita que ele seja um “laranja” do senador na sociedade.

Flávio é investigado pelo MP-RJ sob suspeita dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e organização criminosa. Os promotores investigam se seus antigos assessores eram obrigados a devolver parte de seu salário para o senador.

O filho do presidente Jair Bolsonaro nega as suspeitas e afirma ser perseguido por membros do Ministério Público.

Fonte: Notícias ao Minuto

Comentários


6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
PHOTO-2022-03-24-09-22-35.jpg
ARTE ANUNCIO_edited.jpg
e20bd367-7acc-4475-8da3-9fbc6ec09c2a.jpg
e20bd367-7acc-4475-8da3-9fbc6ec09c2a.jpg
WhatsApp Image 2022-03-02 at 09.18.20.jpeg
27c67dfa-f244-4968-8676-48078eee2240.jpg
EUCATUR.jpg
4c431daf-e845-4334-9e53-725fdf7616c6.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
WhatsApp Image 2022-03-02 at 09.18.20.jpeg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg
ARTE ANUNCIO_edited.jpg
bottom of page