Cerca de 40% dos restaurantes e bares vão falir, diz associação

Abrasel afirma que Cuiabá já contabiliza 10 mil demissões no setor e pede que Prefeitura libere reabertura


A Associação Brasileira de Bares e Restaurante (Abrasel) estima que 40% dos bares e restaurantes de Cuiabá não conseguirão reabrir as portas após a pandemia do novo coronavírus, a Covid-19. Além disso, ainda segundo a associação, a Capital já contabiliza cerca de 10 mil demissões no setor.

Conforme a presidente da entidade, Lorenna Bezerra, os grupos mais afetados são bares, casas noturnas e microempresários.

As boates e bares, segundo Lorenna, serão os últimos a reabrirem as portas. Já os microempresários possuem faturamento pouco significativo e sobrevivem do que produzem.

“Para os bares e casas noturnas a retomada será mais lenta, então eles vão sentir bastante o impacto. Tem muita demissão e muitos não vão conseguir voltar. Outra fatia que também vai ser muito prejudicada é o micro e pequeno empreendedor. 80% do segmento são de pequenos empreendedores, que faturam na faixa de R$ 20 mil a R$ 30 mil. Esse grupo de empresários que faturam menos, só faturam o que produzem”, disse ela ao MidiaNews.

Bezerra ainda ressaltou que outros setores também dependem dos bares e restaurantes, como o pequeno agricultor e os músicos.

Tem muita demissão e muitos não vão conseguir voltar. Outra fatia que também vai ser muito prejudicada é o micro e pequeno empreendedor

“Nós temos, na cadeia de restaurante, pessoas que dependem da gente. Tem fornecedor; pequeno agricultor; músico. A gente está falando de uma série de pessoas desempregadas. É muito preocupante. A gente não está preocupada somente com a economia”, afirmou.

De acordo com a presidente da Abrasel, as pessoas que foram demitidas durante a pandemia estão recebendo o seguro desemprego, mas isso não irá durar por muito tempo e fará com que o poder de compra diminua, dificultando ainda mais a recuperação da economia.

“Não vai recuperar. As pessoas não terão poder de compra, a violência vai aumentar... É muito sério o que a gente está vivendo. Em Campo Grande, Curitiba, tudo já voltou e aqui ainda está segurando”, disse.

Reabertura com restrições

Lorenna disse, ainda, que a única solução para salvar as empresas e os empregos é reabrir os restaurantes, adotando medidas de biossegurança.

Segundo ela, os restaurantes já tomavam cuidados com a manipulação dos alimentos e limpeza, seguindo as exigências da Vigilância Sanitária.

“O restaurante já é acostumado com o controle na manipulação de alimentos. Esse vírus se transmite entre pessoas e não do alimento para a pessoa. O que o restaurante tem que fazer é tomar cuidado com clientes, funcionários e fornecedores”, afirmou.

“O talher não pode mais ficar exposto em cima da mesa, tem que ficar embalado, montar a mesa só a partir do momento em que o cliente chegar, um buffet por quilo fica um funcionário higienizando as mãos dos clientes com álcool 70%, guardanapo embalado, espaçamento entre as mesas também”, enumerou.

Incoerência

Por fim, a presidente da Abrasel questionou a reabertura, na semana passada, do Restaurante Popular pela Prefeitura de Cuiabá.

Segundo Lorenna, não há diferença entre o funcionamento da unidade para os outros estabelecimentos, se todos seguirem rigorosamente os cuidados sanitários.

“Reabrir o Restaurante Popular vai contra tudo o que a Prefeitura está dizendo que não pode. Se o Restaurante Popular da Prefeitura pode, por que os restaurantes populares e o restaurante normal não podem? Qual é a diferença?", questionou.

"Simplesmente, eles abriram tomando as restrições com todo o cuidado que tem que ter, que foi colocado na cartilha elaborada pela Abrasel com o Sebrae”, completou.

https://www.midianews.com.br/cotidiano/cerca-de-40-dos-restaurantes-e-bares-vao-falir-diz-associacao/375494

EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
56422362_2285627121709462_41902581880518
d1e1841c-2d85-458a-bd16-3f434b913cc6.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg