top of page

PF descobre advogados e topógrafos ajudando grileiros no desmatamento de parque e terra indígena, em


A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã desta terça-feira (17), uma operação para combater a grilagem e desmatamento dentro do Parque Nacional do Pacaás Novos e Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, na região de Nova Mamoré (RO), fronteira com a Bolívia.

Segundo a PF, a investigação descobriu que advogados e topógrafos estão ajudando grileiros na invasão e queimadas dentro das áreas de reservas florestais.

Ao todo, os agentes cumprem 20 mandados judiciais, sendo quatro de prisão preventiva, oito de busca e apreensão e oito de sequestro e indisponibilidade de bens.

Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Guajará-Mirim, e são cumpridos nas cidades Porto Velho, Buritis, Campo Novo de Rondônia e Nova Mamoré. Os nomes dos profissionais envolvidos na organização criminosa não foram divulgados pela PF, até a publicação da reportagem.

A operação Terra Prometida é feita em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e Exército Brasileiro.

Além do desmatamento e invasão de terras em áreas da União, a operação visa combater queimadas e ameaças aos servidores públicos no Parque Nacional do Pacaás Novos e Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau.

Como funcionava o esquema?

Segundo a PF, o grupo de advogados e topógrafos utilizava um “discurso falso de regularização fundiária e a criação de associação de produtores rurais”. Assim, líderes recrutavam pessoas para invadir e demarcar lotes no interior das reservas.

Em seguida, os investigados desmatavam e queimavam grande parte da vegetação nativa e depois erguiam um acampamento no local desmatado.

Durante a investigação, o grupo invasor ameaçou servidores públicos dos órgãos de fiscalização, como o ICMBio, e agentes públicos de segurança.

Os presos, após serem ouvidos na Superintendência da Polícia Federal em Rondônia, devem ser encaminhados a presídios estaduais e responderão pelos crimes de organização criminosa, ameaças, crimes ambientais e invasão de terras públicas.

Por G1 RO


6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
e20bd367-7acc-4475-8da3-9fbc6ec09c2a.jpg
EUCATUR.jpg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
4c431daf-e845-4334-9e53-725fdf7616c6.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
d2ea8d0f-0c5c-4bf3-860d-af688e0bcf0d.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg
bottom of page