Filhote de onça deixado em pet shop e passa por reabilitação e será levado para floresta na Argentin


O animal está com aproximadamente um ano de vida e faz parte de um programa do ICMBio que reabilita animais ao povoamento na natureza.

Filhote foi deixado em pet shop de Sorriso, a 420 km de Cuiabá — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Uma onça-pintada que tinha sido resgatada filhote em um pet shop em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, em agosto de 2019, deve ser transferida para Argentina. O animal se recuperou no centro veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Sinop, a 503 km da capital e vai ser devolvido à natureza.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os funcionários do pet shop acionaram os militares depois que um morador deixou o animal no estabelecimento. A onça foi resgatada no dia 29 de agosto de 2018 e tinha entre 2 e 3 meses de vida.

Ao G1, a veterinária Elaine Dione, responsável pelo setor de atendimento de animais silvestres do hospital, contou que o animal foi transferido em junho deste ano para um centro de reabilitação de animais em Goiás (GO) após ter desenvolvido crescimento ideal para ser recolocada ao habitat.

A transferência do felino contou com o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) e com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A onça foi para o outro estado onde receberia mais um tratamento de aprendizagem para reintegração à natureza. O animal está em um cativeiro.

Elaine disse que o animal está com aproximadamente um ano de vida e faz parte de um programa do ICMBio que reabilita animais ao povoamento na natureza, com isso a onça será transferida em breve para uma floresta na Argentina e, assim, introduzida ao meio ambiente para desenvolver a espécie que está ameaçada de extinção.

Na época do resgate, a suspeita era que a mãe do felino teria sido morta em alguma região de mata no município e que um caçador tivesse cometido crime ambiental matando a mãe, segundo os bombeiros.

Animal foi transferido de MT para um centro de reabilitação de animais em Goiás — Foto: Arquivo pessoal

Uma parte da reabilitação do felino foi realizada em Mato Grosso durante 10 meses com parceria com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e uma clínica. Neste período o comportamento do animal foi monitorado por vídeo e câmeras noturnas.

Por G1 MT


c2c9063e-ef01-4b45-89ef-a4f835f274c0.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
AUITSMO corrigido 300X250.png
e7fecd30-2a15-4427-b13c-ff7239795fb9.jpg
EUCATUR.jpg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
d2ea8d0f-0c5c-4bf3-860d-af688e0bcf0d.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg