CONSUMO DOS CAFÉS ESPECIAIS CRESCE 12% AO ANO EM NÍVEL MUNDIAL


Cultivares de alta qualidade desenvolvidas pela pesquisa têm contribuído para produção de cafés especiais no Brasil

O segmento dos cafés especiais tem registrado nos últimos 15 anos um incremento bastante expressivo da demanda em nível mundial, em média 12% ao ano, enquanto que os cafés tradicionais (commodity) têm crescido a uma taxa anual de 2%. Muitos são os fatores que podem ser atribuídos direta e indiretamente a esse crescimento do consumo dos cafés especiais, os quais abrangem uma ampla gama de conceitos e práticas.

Considera-se café especial o que atinge, no mínimo, 80 pontos numa escala sensorial de pontuação que vai até 100. Nessa escala são avaliados os seguintes atributos do café: fragrância e aroma, uniformidade, ausência de defeitos, doçura, sabor, acidez, corpo, finalização, harmonia, conforme os parâmetros definidos pela Specialty Coffee Association of America – SCAA, que são adotados por vários países e também no Brasil pela Associação Brasileira de Cafés Especiais – BSCA.

Neste mesmo contexto, há que se ressaltar as características específicas de uma dada região produtora, com seu singular terroir (relação do solo e microclima particular com as cultivares), em geral, também contribuem para a produção de cafés especiais, os quais são muito apreciados pelos consumidores mais exigentes do planeta dispostos a pagar valores mais altos por esses produtos.

Nesse sentido, instituições de pesquisa, ensino e extensão, do Consórcio Pesquisa Café coordenado pela Embrapa Café, têm conjugado esforços para desenvolver tecnologias visando associar atributos positivos às cultivares que contribuem para produzir cafés especiais. Assim, nas últimas duas décadas, tanto a pesquisa como os produtores buscam primordialmente plantas e grãos para melhorar cada vez mais a qualidade da bebida, além de outros atributos positivos para agregar renda e valor, como a resistência e tolerância a pragas e doenças, aumento da produtividade, adaptação a estresses ambientais, entre outros atributos. Com isso, essa conjugação de esforços tem permitido agregar valor ao produto e atender aos exigentes consumidores dos cafés especiais em qualquer parte do planeta que, conforme mencionado, nos últimos 15 anos o consumo têm crescido 12% ao ano em nível mundial.

  • Fonte: Lucas Tadeu Ferreira (MTb 3032/DF), Anísio José Diniz - Embrapa Café


EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
56422362_2285627121709462_41902581880518
d1e1841c-2d85-458a-bd16-3f434b913cc6.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg