Servidores municipais de Cacoal decidem paralisar suas atividades nos dias 23, 24 e 25 deste mês


Para o Sindicato, outro ponto importante a ser destacado são as despesas do executivo com nomeações de comissionados que crescem diariamente, sendo que na maioria das vezes seriam indicações dos acordos políticos, dificultando assim o reajuste dos servidores efetivos.

Cacoal, Rondônia - Em assembleia geral extraordinária do Sindicato dos Servidores Municipais de Cacoal (SINSEMUC), realizada na Câmara Municipal na noite da última terça-feira (10,) os mais de 250 servidores presentes rejeitaram a contraproposta encaminhada pela administração e decidiram paralisar suas atividades nos dias 23, 24 e 25 deste mês.

O SINSEMUC fez a leitura do Ofício nº 469/GAB/18 encaminhada pela administração, em que propunha benefícios para algumas categorias, como criação das gratificações de desempenho de funções para agentes administrativos e servidores de apoio lotados na SEMMA, além dos servidores de apoio como cozinheiras, merendeiras e zeladores municipais. Outra categoria que seria contemplado na proposta são os professores com as propostas de 2,64% da diferença do piso nacional da educação do ano de 2017, e que no final do segundo quadrimestre os demais pedidos do sindicato seriam avaliados mediante a melhora da arrecadação municipal.

As demais categorias de servidores não foram contempladas pela proposta da administração. O SINSEMUC e a comissão de negociação atuaram nas reuniões com a comissão da administração para que fizesse uma proposta que contemplasse todos os servidores municipais, mas isto não ocorreu.

Diante da recusa da proposta por parte dos servidores, o SINSEMUC e a comissão de negociação continuam abertos ao diálogo com o Executivo, pois a negociação teve um avanço: durante os primeiros seis meses não tinha proposta por parte da administração, somente agora que veio esta contemplando algumas categorias. O sindicato acredita que não se está distante de uma proposta que contemple todos os servidores e continuará dialogando com a administração para que se possa chegar a uma nova proposta que contemple todos os servidores para que seja aprovada em assembleia geral.

O SINSEMUC irá informar também aos servidores e à sociedade que a administração propõe gastar em terceirização de mão de obra quase R$ 13 milhões com 283 funções terceirizadas, valor esse que poderia ser revertido em valorização dos mais de 1.800 servidores efetivos de Cacoal.

Para o Sindicato, outro ponto importante a ser destacado são as despesas do executivo com nomeações de comissionados que crescem diariamente, sendo que na maioria das vezes seriam indicações dos acordos políticos, dificultando assim o reajuste dos servidores efetivos. A expectativa do SINSEMUC é a de que todas as categorias vão aderir à paralisação, pois a valorização dos Servidores também depende da participação de cada um.

Assessoria: SINSEMUC-CUT.


c2c9063e-ef01-4b45-89ef-a4f835f274c0.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
AUITSMO corrigido 300X250.png
e7fecd30-2a15-4427-b13c-ff7239795fb9.jpg
EUCATUR.jpg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
d2ea8d0f-0c5c-4bf3-860d-af688e0bcf0d.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg