Mais três vítimas procuram a polícia para denunciar abusos de professor em Cabixi, RO


Meninas de 8 e 9 anos disseram que ele passava a mão no corpo delas e dava doces. Jovem de 18 anos contou que, há cerca de 10 anos, foi vítima do mesmo suspeito.

IMAGEM ILUSTRATIVA

IMAGEM ILUSTRATIVA

Mais três vítimas procuraram a Polícia Militar (PM) para denunciar um professor de 64 anos, por abusos sexuais, em Cabixi (RO), na região do Cone Sul. O primeiro caso foi registrado na quarta-feira (4), quando duas meninas, de 9 e 12 anos, afirmaram que o professor “passou a mão” em partes íntimas do corpo delas.

Já na quinta-feira (5), outras duas estudantes, de 8 e 9 anos, contaram que o professor também praticou atos libidinosos com elas. Além disso, uma jovem de 18 anos denunciou que, há cerca de 10 anos, também foi molestada pelo mesmo suspeito. Segundo a Secretaria Municipal de Educação de Cabixi, o profissional foi afastado do trabalho. A Polícia Civil investiga o caso.

Segundo a PM, as novas vítimas, acompanhadas das mães e conselheiras tutelares, relataram os abusos. A vítima de 8 anos contou que o suspeito é professor dela e que ele a pegou no colo várias vezes. Nessas ocasiões, segundo a criança, o homem passava as mãos nas pernas dela até a altura da virilha. Além disso, a aluna disse que o professor passava a barba no pescoço dela e ainda dava doces, do tipo bala e bombons.

A menina de 9 anos, que também é aluna do suspeito, falou que foi tocada pelo professor diversas vezes, da mesma forma que a colega de 8 anos. As vítimas ainda relataram que os abusos acontecem desde os primeiros dias de aulas desse ano.

As crianças ainda disseram que viram mais uma colega sendo acariciada da mesma forma que aconteceu com elas. Depois do registro das meninas, no mesmo dia, uma jovem de 18 anos também procurou o quartel da PM.

Ela denunciou que, há cerca de 10 anos, também foi vítima do mesmo homem. Na época, ele trabalhava de guarda, no portão da escola onde ela estudava. A garota relatou que, em meados de 2008, os abusos aconteciam na biblioteca da escola.

A vítima contou que o suspeito tocava as partes íntimas, beijava o pescoço e a boca, além de colocá-la contra a parede, em contato físico com o corpo dela. A jovem disse ainda que o homem pedia para que ela não contasse a ninguém, pois ele era amigo da família dela.

Com os novos registros, subiu para cinco o número de vítimas do mesmo suspeito. A Polícia Civil informou, nesta sexta-feira (6), que o caso está sendo apurado, mas que o inquérito é sigiloso.

O secretário de educação de Cabixi, Jailton Lopes Ferreira, explicou que o professor foi afastado da função. “Instauramos um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do servidor”, concluiu.

Por Eliete Marques, G1 Vilhena e Cone Sul


c2c9063e-ef01-4b45-89ef-a4f835f274c0.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
AUITSMO corrigido 300X250.png
e7fecd30-2a15-4427-b13c-ff7239795fb9.jpg
EUCATUR.jpg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
d2ea8d0f-0c5c-4bf3-860d-af688e0bcf0d.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg