AS PROBLEMÁTICAS RESULTANTES DOS “LIXÕES A CÉU ABERTO” NO PAÍS E AS SÉRIAS CONSEQUÊNCIAS AO MEIO AMB


É bastante notório que ao longo dos anos, o lixo deixou de ser um assunto de pouco importância e passou a ser uma questão de interesse mundial. E toda problemática relacionada às consequências nocivas da disposição irregular do lixo já é vivida diariamente por milhares de pessoas no mundo. O destino do lixo que produzimos e acondicionamos de maneira inadequada tem gerado graves problemas à todas as nações.

Em geral, em quase toda atividade humana produzimos resíduos sólidos em composição e volume, e a grande preocupação, sem qualquer sombra de dúvida é saber aonde vamos jogar tanto lixo, de forma a garantir a segurança do meio ambiente e das populações, pois nos últimos anos, o que está em discussão sobretudo é a assegurar a saúde humana e ainda oferecer melhores condições de preservar o meio em que vivemos.

Em síntese “lixo” nada mais é do que uma grande diversidade de resíduos sólidos de diferentes procedências, dentre eles, o resíduo sólido urbano gerado em nossas residências.

Nos dias de hoje, onde se registra um grande número de pessoas vivendo nos centros urbanos, e ainda com o avanço mundial da indústria gerando mudanças nos hábitos de consumo da população, tem se observado a geração de um lixo diferente em quantidade e diversidade. Mesmo no campo pode ser encontrado materiais como frascos e sacos plásticos acumulando-se devido a formas inadequadas de eliminação. Quando utilizamos locais inadequados para depositar o lixo que produzimos, é lançado diretamente no solo, sem qualquer cuidado técnico ou especial muitas substâncias de grau elevado de contaminação, que acabam comprometendo e muito os lençóis freáticos e o próprio ar, e as consequências dessa ação errada, num curto espaço de tempo, serão vividas por toda a população, e a forma mais evidente disso são as doenças geradas devido a disposição incorreta do lixo.

Uma das principais metas para o Brasil nos últimos anos é eliminar e substituir esses lixões por aterros sanitários – uma técnica mais adequada e segura para destinar o lixo, prevenindo danos ou riscos à saúde humana e ao meio ambiente. Isso é o que prevê a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei nº 12.305/2010).

Rondônia já está um passo à frente rumo ao futuro, pois o estado dispões de aterros sanitários nas Cidades de Vilhena e Cacoal, da empresa MFM SOLUÇÕES AMBIENTAIS, que atende grande parte do estado com a destinação final dos resíduos sólidos urbanos, em breve será inaugurado o aterro de Ji-Paraná, que também será um grande marco para a história do estado.

Uma Rondônia mais limpa, sem lixões a céu aberto é o futuro que todos desejam, garantindo mais saúde para todos.


c2c9063e-ef01-4b45-89ef-a4f835f274c0.jpg
934b0fec-b165-406b-bf07-01ae73250ec7.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
2022 dom.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
AUITSMO corrigido 300X250.png
e7fecd30-2a15-4427-b13c-ff7239795fb9.jpg
EUCATUR.jpg
a0b9d943-d73d-4b47-880b-58c1c18c75f1.jpg
6e52628e-9cfa-4231-88ed-162c493c3769.jpg
d2ea8d0f-0c5c-4bf3-860d-af688e0bcf0d.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg