Nova diligência na 319 tem por meta o asfalto


Comissão do Senado, liderada por Acir Gurgacz, iniciou ontem mais uma viagem até Manaus.

Queremos a integração da Amazônia, mas com responsabilidade ambiental. Foi o que afirmou ontem o senador Acir Gurgacz (PDT-RO), momentos antes de sair de Porto Velho com destino a Manaus (AM) em mais uma diligência da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado na BR-319, que liga Rondônia ao Amazonas. Para o senador, a recuperação da rodovia não gerará impactos negativos, pelo contrário, resultará em mais benefícios para a população com a melhoria da trafegabilidade e facilidade para o escoamento da produção.

Na terceira inspeção da comissão, que acontece até a próxima quinta-feira, o senador disse que a proposta é observar as condições da rodovia e a realidade dos moradores no entorno neste período de chuvas, com vistas a mostrar a urgente necessidade de reconstrução do asfalto da década de 70, garantindo melhores condições ao tráfego de veículos e ao intercâmbio comercial entre os dois Estados.

Acir destacou, que a primeira diligência resultou no início dos trabalhos de licitação para manutenção da estrada; a segunda no fim dos embargos para a obra, que foi retomada possibilitando a trafegabilidade, embora de forma precária; e agora a meta é conseguir recompor o asfalto, trabalho que ele acredita ser mais benéfíco que gerador de impactos. “Para Rondônia, que tem 1,7 milhão de habitantes, essa rodovia é de fundamental importância por fazer a ligação com Manaus, com mais de dois milhões de habitantes, que poderão consumir com mais facilidade a produção da nossa agricultura familiar e vice-versa”, disse o senador, completando que a BR-319 está abandonada por motivos que “até hoje não conseguimos compreender, mas cumpre um papel importante na integração da Amazônia e com o nosso trabalho está voltando a exercer esta função essencial para o desenvolvimento regional sustentável”.

Integrante da comitiva, Ricardo Zoghbi, coordenador-geral de Licenciamento Ambiental de Empreendimentos Minerais do Ibama, afirmou que o Instituto e o Dnit trabalham para que o empreendimento saia do papel e se torne realidade e volte a integrar os Estados. “O Ibama é um órgão estritamente técnico, que se prende à legislação vigente, ou seja, avaliamos os estudos tecnicamente para garantir a preservação do meio ambiente. A minha presença nesta caravana com certeza vai fomentar e enriquecer as discussões”.

Diretor-geral do Dnit, Valter Casimiro, reforçou que a 319 é uma estrada muito importante, pois liga via terrestre o estado do Amazonas ao restante do País; principalmente ao desenvolvimento dos três Estados: Amazonas, Rondônia e Acre para o escoamento de alimentos. “Esperamos que este ano possamos concluir os estudos e fazer a atualização do projeto de pavimentação para que, se possível, até o fim do ano, licitarmos a obra de reconstrução do trecho do meio”.

Questão de soberania

Parabenizando o senador Acir pela iniciativa, o vice-governador Daniel Pereira (PSB), afirmou que recuperar a rodovia é uma questão de soberania nacional. Segundo ele, é um absurdo o País não poder chegar ao longo de seu território através de via terrestre. “Além da soberania terrestre a 319 representa uma soberania econômica, alguns produtos podemos levar pelo rio Madeira, mas existem insumos que não podem esperar uma semana. A rodovia é uma questão nacional e particular da Amazônia”, ressaltou, propondo para a próxima reunião do Consórcio dos Governadores da Amazônia Legal que seja colocada como item número um a integração pela BR-319.

No entendimento do prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves (PSB), o abandono da BR favorece o crime ambiental, prática que diminuirá à medida em que a pavimentação for sendo restaurada e ter a fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Ibama, secretarias de meio ambiente junto com os órgãos do Amazonas. “Em relação à importância da rodovia para Rondônia, que é um Estado agrícola, vamos garantir o abastecimento de gêneros alimentícios, gerando emprego e oportunidades”.

Destacando o empenho de Acir no Senado e das demais autoridades rondonienses, como o governo Estadual, o deputado estadual do Amazonas, Adjuto Afonso (PDT), afirmou que assim como Rondônia, o Amazonas tem interesse pela revitalização da estrada, e anunciou para quinta-feira audiência pública na Assembleia Legislativa daquele Estado para tratar do assunto com a presença de representante do Departamento Nacional de Transporte Terrestre (Dnit), Ibama, ICMBio, entre outros, que integram a comitiva que seguiu para Manaus.

Distância

Com a revitalização da BR-319, motoristas que fazem o percurso de cerca de 800 quilômetros de ônibus afirmaram que a tendência é reduzir para 14 horas o tenpo de viagem de Porto Velho a Manaus, que hoje é de um dia e meio.

Assim como a classe política, a mobilização em prol da rodovia tem o apoio da OAB de Rondônia e do Amazonas, das Federações das Indústrias (Fiero e Fiam), Federação do Comércio, entre outras instituições, além da própria comunidade.

A comitiva pernoitou no Humaitá (AM), de onde segue hoje, às 5h, para Manaus, com previsão de chegada amanhã, e retorno na quinta-feira, após a audiência na ALE-AM.

Por RedaçãoDIÁRIO DA AMAZÔNIA


EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
56422362_2285627121709462_41902581880518
d1e1841c-2d85-458a-bd16-3f434b913cc6.jpg
                                                     Notícia Em Destaque                                                     
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg