EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

6429316e-92ab-426c-92d0-41a2de232145.jpg
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg

Capital tem manifestação contra preço do combustível


A partir das 7h os manifestantes se concentraram no local e pouco tempo depois os caminhoneiros também aderiram ao protesto.

Em protesto contra os aumentos abusivos do combustível e do gás de cozinha, moradores de Porto Velho criaram o grupo “Petrobras, essa conta não é minha” nas redes sociais e organizaram, na manhã de ontem, protesto na entrada do porto petrolífero, localizada na estrada do Belmont. A partir das 7h os manifestantes se concentraram no local e pouco tempo depois os caminhoneiros também aderiram ao protesto. “Todos estamos sofrendo com o aumento do combustível e do gás de cozinha.

As pessoas devem lembrar que o nosso Brasil gira sobre rodas e se aumenta a gasolina vai aumentar o arroz, feijão, a carne e tudo que vai para a nossa mesa. Temos todos que aderir à manifestação para o bem geral”, afirmou Raiate Gomes, organizador do movimento.

De acordo com ele, a via não esteve interditada para a população e veículos de transporte coletivo, apenas para as carretas petroleiras. O protesto também aconteceu em outros pontos da cidade, incluindo o Espaço Alternativo, “buzinaços” em postos de gasolina. “Além disso, condutores estão aderindo à ideia nacional de abastecer R$ 0,50 e exigir a nota fiscal”, disse Raiate Gomes. Ele explicou que o movimento não é composto por bandeira política ou religiosa, mas é tudo organizado pela população de Porto Velho. O movimento deve ganhar reforço nos próximos dias porque, conforme Raiate, caravanas estão se deslocando do interior para Porto Velho.

Por Ana Kézia GomesDIÁRIO DA AMAZÔNIA


5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
a05d55d4-665c-4af4-b7f1-6e740d661e27.jpg
5bb1e9a9-b366-4571-9ff5-9b2272c77dc5.jpg
Banner-Prefeitura-de-Cacoal-Trabalho-Pela-Vida-970x250-Animação.gif
banner970x250_ALERO_MULHER (1).gif