Banco do Povo inaugura agência em São Francisco; só no primeiro dia 40 microempreendedores tiveram a


A primeira agência do Banco do Povo na região do Vale do Guaporé foi inaugurada na sexta-feira (28), em São Francisco do Guaporé. A proposta do banco é ofertar empréstimos com taxas competitivas no mercado financeiro promovendo o aquecimento da economia. A agência está instalada no mesmo prédio da Secretaria Municipal de Agricultura, na região central da cidade.

Pelo menos 40 microempreendedores já tiveram os créditos aprovados e, no ato inaugural, receberam os cheques. “Após a quitação do empréstimo, novo crédito poderá ser concedido em valor diferente ao contratado pela primeira vez”, informou o gerente da agência, Djalma Pedroso.

O presidente da Associação dos Feirantes de São Francisco do Guaporé, Daniel Lima de Souza, mais conhecido como Daniel da Feira, tomou emprestado R$ 2 mil no banco do Povo e avalia como positiva a iniciativa. “Vou investir em irrigação com o objetivo de ampliar a produção de verduras. É um incentivo que vale a pena, vou sugerir a outros feirantes da agricultura familiar”, disse o feirante.

Jari Nogueira trabalha com jardinagem há três anos. Ele soube da implantação do banco do Povo e buscou recurso financeiro para estruturar o negócio com a aquisição de mais equipamentos. “É uma ótima oportunidade para quem precisa melhorar de vida e iniciar uma atividade que traz renda”, disse o jardineiro ao receber o cheque. “Esse banco é importante porque ajuda o agricultor familiar”, observou o sitiante Galdêncio Gonçalves de Almeida. A solenidade inaugural do banco do Povo contou com a participação de autoridades estaduais, municipais e federais.

O banco do Povo tem a finalidade de fomentar o microcrédito. Trabalhador autônomo tem acesso ao crédito, basta procurar a agência munido de documentos e passar pela aprovação de avaliação de crédito.

São Francisco do Guaporé é a maior cidade da região do Vale do Guaporé com a economia voltada ao setor produtivo. A pecuária é de 480 mil cabeças, sendo 80% em gado de corte. Principal produtor de inhame, toda colheita é vendida para o Nordeste brasileiro.

Novas culturas estão sendo experimentadas pelos produtores rurais, como o urucum e o café clonal BRS Ouro Preto, por exemplo. Em 2016, o município colheu e vendeu 120 toneladas de urucum e a produção deste ano está estimada em 200 toneladas, segundo o técnico agropecuário da secretaria de agricultura de São Francisco, Edson Aires Piana. “Até o final de 2017 deveremos ter uma lavoura do café com 200 mil pés”, disse o Edson Piana.

Fonte Texto: Paulo Sérgio Fotos: Jeferson Mota Secom - Governo de Rondônia


                                                     Notícia Em Destaque                                                     

EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

121192447_2812561702348776_7365130888151
56422362_2285627121709462_41902581880518
ARTE ANUNCIO.jpg
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg