Blairo reforça inspeção em frigoríficos e diz que 'carne com pus' não faz mal


Os abscessos na carne exportada para os EUA foram encontrados a partir de manuseio irregular da vacinação contra febre aftosa. O Ministério da Agricultura implantou novas normas de inspeção.

Diante da polêmica sobre abscessos [acúmulo de pus no interior de tecidos] encontrados em cortes de carne bovina, destinados aos Estados Unidos da América, o que culminou na suspensão da importação do produto pelos norte-americanos, o ministro da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi declarou que desde sexta-feira (23), alterou as normas de inspeção e afirmou que a anomalia não causa mal à saúde.

"É importante dizer que não é um abscesso a olho nu que você vai observar. Quando você vê isso é quando está fazendo a toalete do boi, está limpando, fazendo os cortes, e obviamente isso vai ser tirado fora. Ele não faz nenhum mal para a saúde, mas ele deprecia o preço e a qualidade da carne”, declarou o ministro.

“O ministério já emitiu uma nova norma a partir de sexta-feira para fazer os cortes diferentes daquilo que estava sendo feito para os Estados Unidos. O que acontece é que numa reação de vacina você pode criar esses abscessos que foram observados na carne que chegou nos Estados Unidos. É importante dizer que não é um abscesso a olho nu que você vai observar. Quando você vê isso é quando está fazendo a toalete do boi, está limpando, fazendo os cortes, e obviamente isso vai ser tirado fora. Ele não faz nenhum mal para a saúde, mas ele deprecia o preço e a qualidade da carne”, declarou o ministro em entrevista ao programa de rádio Jornal da Capital, nesta terça-feira (27).

“O Ministério da Agricultura soltou na sexta-feira uma nova normativa de procedimento de fiscalização e procedimento de manuseio dessas carnes, dianteiro dos bovinos, que são mandados para os Estados Unidos".

O ministro tenta reverter a situação de suspensão da importação, anunciada pelos norte-americanos, na quinta-feira (22). Para isso foi determinada uma sindicância para avaliar o tipo de reagente utilizado na vacina, que tem deixado resíduo nas carnes. O ministério também inspecionou os frigoríficos credenciados para exportação e emitiu novas normas.

“O Ministério da Agricultura soltou na sexta-feira uma nova normativa de procedimento de fiscalização e procedimento de manuseio dessas carnes, dianteiro dos bovinos, que são mandados para os Estados Unidos e que são utilizados na indústria americana, mas para fazer hambúrgueres e outros embutidos. Então eu espero que com essas mudanças normativas, e uma fiscalização uma maior do problema que nós temos no Brasil, a gente consiga voltar ao mercado americano”, afirmou.

Blairo avalia fazer uma viagem aos Estados Unidos para tratar pessoalmente da retomada do mercado, já que a suspensão é temporária.

“Se tiver a oportunidade de ter que ir até lá explicar, eu irei, mas eu penso que essa semana nós ainda vamos ter uma parte técnica, parte de papel para ficar discutindo outros dois ministérios partes veterinária entre Estados Unidos e o Brasil”, concluiu.


9e413106-a9b3-4d57-abde-2b6eb073f5b5.jpg
CONVENIO UNIMED.png
682a8f16-9535-4ecc-b613-4e0c2a098aad.jpg
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
                                                     Notícia Em Destaque