Mulher encontrada em mala teve sangue ingerido


A polícia acredita que Djanes ainda esteja escondido na capital e conta com denúncias de populares para prendê-lo.

Na manhã da última sexta-feira (9), agentes da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Vida (DECCV), dando continuidade as investigações visando prender Djanes L. M., suspeito de assassinar e ocultar o corpo de Raquel Vieira de Souza, na madrugada do dia 13 de maio em uma residência, localizada na Rua Prece, bairro Porto Cristo, zona Leste de Porto Velho, ouviram duas testemunhas.

As mulheres afirmaram em depoimento que o suspeito estrangulou a vítima e depois desferiu golpes com uma peça de motocicleta na cabeça dela. O sangue que escorria foi ingerido por Djanes, que ainda obrigou uma das testemunhas também beber. As mulheres disseram que estavam no local para usar drogas, quando o suspeito teria se desentendido com Raquel e praticado o brutal crime.

A polícia acredita que Djanes ainda esteja escondido na capital e conta com denúncias de populares para prendê-lo.

Por RedaçãoDIÁRIO DA AMAZÔNIA


9e413106-a9b3-4d57-abde-2b6eb073f5b5.jpg
CONVENIO UNIMED.png
682a8f16-9535-4ecc-b613-4e0c2a098aad.jpg
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
                                                     Notícia Em Destaque