Empresa de medicamentos à base de Canabidiol


A empresa articula a compra e importação de medicamento à base de maconha e promete preço mais baixo e acesso mais fácil para quem trata diversas doenças, inclusive síndromes raras.

Mato Grosso é o primeiro Estado do Centro-Oeste a receber as instalações da empresa Greenfields HealthCare, especialista em facilitar o acesso a pacientes que necessitam de medicamentos à base de Canabidiol - medicamento feito à partir da maconha (Cannabis Sativa, que atua no sistema nervoso central, mas que não vicia) – que já está autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a ser comercializado no Brasil.

“Mato Grosso tem excelentes especialistas na área, um centro de referência de pesquisas, e também nos chamou atenção que no Centro-Oeste têm diversos casos de pessoas que precisam do medicamento, como o caso do menino Ricardo, de Cuiabá, que usa o remédio”, disse o diretor da empresa.

A empresa articula a compra e importação do medicamento que tem como principal diferencial a baixa dosagem de Tetra-hidrocanabinol (THC) - substância que é a principal responsável pelos efeitos alucinógenos da planta - contendo apenas 0,6% na fórmula. A Greenfields HealthCare representa diversos medicamentos derivados do Canabidiol, porém no Brasil somente dois foram autorizados a serem comercializados.

O diretor da empresa em Mato Grosso, Sthefan Ferrari Negraes Consorte, disse ao que a escolha do grupo empresarial de se instalar primeiro no Estado foi motivada pela repercussão do caso do menino cuiabano Ricardo Curvo, que faz uso contínuo do medicamento à base de Canabidiol, além de o Estado ter um centro de pesquisa, que é referência no assunto e está instalado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

“Mato Grosso tem excelentes especialistas na área, um centro de referência de pesquisas, e também nos chamou atenção que no Centro-Oeste têm diversos casos de pessoas que precisam do medicamento, como o caso do menino Ricardo, de Cuiabá, que usa o remédio”, disse o diretor.

A empresa já atende os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e agora Mato Grosso. O diretor explica que as regiões Norte e Nordeste também devem ser atendidas em breve.

“O objetivo principal da empresa é facilitar o acesso aos pacientes que necessitem deste tipo de medicamento, que é específico para tratamentos de síndromes raras”, explica Sthefan.

A Greenfields HealthCare é uma iniciativa multinacional de um grupo de empresas que visam o fomento global do mercado de Cannabis Medicinal e a sede fica na Suíça. Em parceria com a MedroPharm – líder na produção do medicamento e presente na Alemanha e Suíça – O maior diferencial da empresa é oferecer facilidade para a pessoa conseguir obter o medicamento e o custo ser um dos menores do mercado.

“O objetivo principal da empresa é facilitar o acesso aos pacientes que necessitem deste tipo de medicamento, que é específico para tratamentos de síndromes raras”, explica Sthefan.

A reportagem fez uma pesquisa e constatou que os medicamentos da empresa custam em torno de 28 a 209 dólares, ou seja, no máximo R$ 900 reais, portanto cerca de 70% mais barato, que outros fabricantes que chegam a cobrar até R$ 4 mil.

Conforme a empresa, com base em estudos e publicação de artigos científicos internacionais, verifica-se que o Canabidiol possui propriedades: neuroprotetora, neurorreparadora, anticonvulsivante, anti-inflamatório, analgésico, antipsicótico, ansiolíticos, antitumoral e antioxidante. O canabidiol age diretamente no sistema endocanabinóide auxiliando nas reparações de sinapses cerebrais, que em determinados casos, funcionam de forma desregulada e enviam informações trocadas ou errôneas aos neurotransmissores, criando assim a patologia crônica alvo. Portanto o medicamento trata exatamente esta falha do sistema e recompõe o envio de informações ao sistema neural.

Facebook

O pequeno Ricardo é um dos pacientes que necessitam de medicamento à base de Canabidiol

O processo de importação, com o auxílio da empresa é mais fácil e menos burocrático, basta o paciente ter a prescrição médica e fazer o requerimento direto no site (www.greenfields.com.br). No site constam todas as orientações sobre produtos disponíveis para venda, processo de compra e cadastro do paciente.

“Logo que o paciente conseguir a prescrição médica e o laudo da doença, que o próprio medico vai fazer, o mesmo será submetido para a Anvisa, de forma online. Após a autorização da Anvisa o medicamento pode ser comprado. A empresa auxilia o paciente em caso de qualquer tipo de problema ou pendência” diz o diretor.

“Se o medicamento tiver um custo bem menor, e o processo for mais rápido, será muito bom, pois, tem vezes que precisamos comprar por conta própria. O remédio do meu filho, custa cerca de R$ 3 mil reais e dura uns dois meses”, diz Bruno.

Esperança

Bruno Ricardo de Almeida Lima, pai do menino Ricardo Curvo, de 2 anos, que utiliza medicamento à base de Canabidiol para o tratamento de síndrome rara, disse ao que a vinda da empresa ao Estado será um alívio, na corrida em busca do medicamento, que segundo ele, muitas vezes tem processo burocrático, demorado e exaustivo.

Apesar de a família ter direito ao tratamento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), custeado pelo Governo do Estado, determinado por meio de liminar na Justiça, às vezes a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) demora a entregar o medicamento.

“O Estado demora muito para realizar o processo de aquisição do medicamento, primeiro leva tempos para licitar, depois demora para pedir o medicamento e mais ainda para executar o pagamento dos produtos, por isso meu filho já chegou a ficar três meses sem receber o medicamento, o que prejudica o tratamento”, aponta Bruno.

Ele disse que ainda não entrou em contato com a nova empresa, mas que em breve deve procurá-los pois, caso o Estado deixar faltar o medicamento novamente, ele precisará adquirir por conta própria.

“Se o medicamento tiver um custo bem menor, e o processo for mais rápido, será muito bom, pois, tem vezes que precisamos comprar por conta própria. O remédio do meu filho, custa cerca de R$ 3 mil reais e dura uns dois meses”, diz Bruno.

O caso

O menino Ricardo Curvo, sofre de uma doença rara e neurodegenerativa, conhecida como Síndrome de Schinzel-Giedion e chegou a ter até 30 convulsões por dia. Após iniciar o tratamento com medicamento à base de Canabidiol, o menino apresentou melhoras significativas, pois o remédio reduz as convulsões.

No Brasil há somente três registros da Síndrome de Schinzel-Giedion – um no Rio de Janeiro, em Salvador e Mato Grosso - e apenas Ricardo está vivo. Ao todo são apenas 15 pacientes no mundo. A expectativa de vida de Ricardo é de 3 anos.

CAMILA PAULINO DA REDAÇÃO

http://www.reportermt.com.br


EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
anigif.gif
serra dourada.gif
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg
                                                     Notícia Em Destaque