“Operação Lava Jato vai separar o joio do trigo”, diz Gurgacz


Após um período de licença do cargo, o senador Acir Gurgacz retomou mandato no início de fevereiro e fala nesta entrevista sobre os principais temas na agenda do Senado e suas expectativas para 2017. LAVA JATO Quais são as principais pautas e temas de interesse de Rondônia no Senado neste ano? Eu entendo que o grande trabalho do Senado este ano vai ser acompanhar os resultados e desdobramentos da Operação Lava Jato. Entendo que esta operação está chegando do meio pro fim, e tem muita coisa pra ser julgada, pra ser revelada, o que deve dominar a agenda política neste ano. É uma operação importante, um momento importante da história do Brasil e nos precisamos de fato passar o Brasil a limpo. Temos que continuar combatendo a corrupção com muita força e a Operação Lava está sendo muito positiva para o país. Eu entendo que é importante o avanço dessa operação, para separarmos o joio do trigo, para sabermos quem realmente se envolveu em corrupção, recebimento ou pagamento de propinas e desvios de recursos públicos. Só assim vamos começar uma nova história, um novo momento na história do Brasil, quebrando esses esquemas, esses mecanismos de corrupção entranhados na gestão pública e na cultura brasileira. Além disso, vamos trabalhar por uma agenda positiva, para que possamos aprovar projetos e medidas que possam auxiliar o país e o nosso Estado de Rondônia na retomada do crescimento econômico com mais força e o mais rápido possível. A aprovação da Medida Provisória 759, que trata da regularização fundiária rural e urbana é uma agenda que interessa muito aos agricultores e moradores de Rondônia, e que estarei empenhado para que seja aprovada em regime de urgência. ECONOMIA DO BRASIL Apesar do agravamento da crise política, o senhor vê possibilidade de retomada do crescimento econômico do país em 2017? Eu entendo que enquanto não se definir toda essa questão da Lava Jato nós não teremos uma retomada do crescimento da economia brasileira. O setor agropecuário deve se manter forte e em crescimento, mas a economia como um todo terá um ano difícil pela frente. A grande expectativa é que haja uma queda de juros acentuada nos próximos meses, para que possamos fazer com que a roda da economia volte a girar novamente. Com juros mais baixos teremos mais oferta de crédito, o que estimula investimentos em infraestrutura, na produção e o consumo. Precisamos estimular o consumo, pois o consumo faz com que as empresas voltem a produzir, fortalecendo o comércio e o setor de serviços, gerando novos empregos e fortalecendo a economia real. Precisamos tirar o dinheiro da ciranda financeira e colocar o dinheiro na produção, seja na produção agrícola ou industrial. Temos que fazer a economia girar. Só assim nos vamos aumentar as oportunidades de empregos e melhorar a economia brasileira. ECONOMIA DE RONDÔNIA E com relação à economia de Rondônia, qual sua avaliação? A expectativa para Rondônia é que o nosso Estado continue crescendo, continue investindo na produção e agora também na industrialização daquilo que nós produzimos. Rondônia tem crescido acima da média brasileira, em torno de 5% a 7% ao ano, nos últimos 10 anos. A nossa produção aumenta ano a ano e a expectativa é que este ano também haja crescimento, tanto na produção agrícola, na pecuária, no pescado, como na indústria e em outros setores. Estamos trabalhando para industrializar o que produzimos, buscando parcerias para o fortalecimento da indústria e o desenvolvimento de nossas cidades. Este é o grande desafio que temos para Rondônia: investir em mais tecnologia no campo, na industrialização dos alimentos e no desenvolvimento urbano das cidades, para que os rondonienses possam empreender, ter emprego, viver com qualidade e assim fortalecer a nossa economia. REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA A regularização fundiária é um tema que o senhor tem trabalhado muito, acredita que agora os processos possam avançar com mais rapidez? De fato, esse é um de nossos principais trabalhos porque também é um dos grandes desafios que temos para Rondônia, que é concluir a reforma agrária e fazer a regularização fundiária de todas as propriedades rurais e urbanas. Meu primeiro discurso e o meu primeiro projeto de Lei no Senado trataram deste tema e continuarei nesta luta até que tenhamos um cenário favorável na questão fundiária e a maioria de nossos agricultores e moradores com seus imóveis regularizados, com o título definitivo da propriedade na mão. Então, essa Medida Provisória, editada no ano passado, a MP 759, vem ao encontro de tudo o que nós estamos trabalhando há muito tempo. Vamos acompanhar essa Medida Provisória para que ela seja aperfeiçoada, para que atenda as expectativas da população e Rondônia, e seja aprovada o mais rápido possível. Algumas alterações serão necessárias e nós já apresentamos diversas emendas para agilizar cada vez mais os procedimentos de regularização fundiária. O mais importante é que nós pedimos para que o governo federal transfira as terras da União em Rondônia para o próprio Estado de Rondônia, para que possamos fazer a regularização fundiária com mais rapidez, tanto na zona rural como na urbana.


EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

5c39b923-e1ce-4dea-b7ef-e2e1ee12cdac.jpg
anigif.gif
serra dourada.gif
CONVENIO UNIMED.png
ARTE ANUNCIO.jpg
                                                     Notícia Em Destaque