EDIÇÃO DE HOJE Nº 118

Banner-Prefeitura-de-Cacoal-Trabalho-Pela-Vida-970x250-Animação (1).gif
4dfe1fc3-4482-426c-b6b8-0e93536a662f.jpg

Corpo de Bombeiros de Rondônia alerta sobre cuidados contra raios durante inverno amazônico


Estamos no inverno amazônico, quando as chuvas são mais frequentes e aumenta a preocupação com os raios. De acordo com o capitão do Corpo de Bombeiros de Rondônia, Iranildo Dias, o estado tem conscientizado e atuado na prevenção dos danos causados pelas descargas elétricas.

‘‘Hoje nós temos uma legislação especifica voltada para isso. Aquelas edificações novas com largura e altura estipulada na lei são obrigadas a instalar o sistema de proteção por descarga atmosférica’’, citou.

Com essa política prevencionista, o capitão informa que houve redução de danos materiais ocasionados por raios no estado. Segundo ele, as maiores ocorrências de descargas elétricas em Rondônia ocorrem entre setembro e outubro, período de transição da estação seca para a chuvosa, porém devido às condições climáticas da região Norte o alerta contra raios é constante.

De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Brasil é o País com maior incidência de raios no mundo, por ser mais localizado na região tropical. ‘‘O Brasil ocupa a 5ª posição no ranking de mortes devido a descargas atmosféricas. Nós temos um índice de 137 mortes por ano’’, afirmou o capitão, ressaltando que é no Norte que se concentram mais ocorrências de descargas elétricas. ‘‘Isso acontece devido à instabilidade climática existente na região’’.

Em Rondônia, segundo o Corpo de Bombeiros, há uma grande variação de incidência de raios conforme o clima e solo. Em Porto Velho, o índice de descarga atmosférica é de 6,4 raios por quilômetro quadrado durante o ano. Já no município de Vilhena, localizado em uma região mais elevada, essa incidência chega a 8,9, considerado um dos mais altos do País. E foi em Vilhena o registro da primeira ocorrência de vítima de raio nas primeiras semanas deste mês.

Os bombeiros foram acionados, a vítima recebeu os primeiros socorros e não apresenta sequelas. “A formação de raios está diretamente ligada às chuvas que são formadas pelas nuvens. As nuvens ao se formar se carregam de energias positivas e negativas e quando elas se aproximam muito da terra geram esta descarga atmosférica’’, explicou.

ORIENTAÇÕES

As descargas elétricas são tão intensas que podem levar à morte, e é por isso que o Corpo de Bombeiros orienta a população a adotar medidas de segurança. ‘‘Ainda falta conhecimento de como se comportar e onde ficar quando está ocorrendo uma tempestade. As pessoas precisam saber que a descarga elétrica procura o ponto mais alto’. Conhecimento que evitaria o cometimento de erros comuns como se abrigar debaixo de árvores e permanecer em local descampado.

O capitão explicou outras medidas que a população precisa adotar para se proteger dos raios. ‘‘Dentro de casa é o lugar mais seguro para ficar quando está ocorrendo tempestade, mas é importante que se afaste dos materiais metálicos, como geladeira, fogão, janelas e, principalmente, não atender telefones de linha porque como está ligado à fiação elétrica a pessoa está sujeita a choque’’.

Agora se a tempestade começou e está longe de casa, o capitão indica outras medidas protetivas. ‘‘Se estiver em um local descampado e não tiver condições de procurar abrigo, recomendamos a mesma posição de impacto de avião: Se agachar, colocar a mão entre as pernas, abraçar os joelhos até que a tempestade passe’’. Em caso de danos causados pelas descargas elétricas, o Corpo de Bombeiros de Rondônia está 24 horas à disposição para prestar socorro imediato através do 193.

#CorpodeBombeirosdeRondôniaalertasobrecuidad

a59463af-00b9-4516-a45a-c2a7b9e975e1.jpg
anuncio TERRAFORTE.jpg
EUCATUR.jpg
Banner-Prefeitura-de-Cacoal-Trabalho-Pela-Vida-970x250-Animação.gif
BANNER SITE.png
24174133_1944909432494834_4108635420390726574_n.jpg
CONVENIO UNIMED.png
682a8f16-9535-4ecc-b613-4e0c2a098aad.jpg
be27f0c5-4fa9-41c5-98a8-9ac5c645f951.jpg
e20bd367-7acc-4475-8da3-9fbc6ec09c2a.jpg
                                                     Notícia Em Destaque