103419939_2703858683219079_3930321760858
76eb2f52-4da8-4771-9e29-13908719f04a.jpg

MP denuncia mulher por matar e esconder o corpo do marido no quintal de casa

Segundo documento, ela deu vários golpes na cabeça e no tórax da vítima. Denunciada confessou o crime e alegou que matou o companheiro para se defender durante uma discussão.


Kátia Soares Pereira Teles, de 38 anos, foi denunciada pelo Ministério Público de Goiás pelo homicídio e ocultação do corpo de Joel de Sousa Teles, morto em maio de 2018, em Goiânia. Segundo o documento, com a ajuda de um indivíduo não identificado, ela matou e enterrou o corpo do marido no quintal da sua própria casa. O corpo só foi encontrado dois anos depois pela Polícia Civil.

O juiz Jesseir Coelho de Alcântra recebeu a denúncia nesta sexta-feira (28) e deu um prazo de dez dias para que a defesa apresente a resposta à acusação. Em nota enviado ao G1, os advogados de Kátia, Polliane de Sousa e Rogério de Paula, disseram que ela sofria violência física e psicológica há anos e que as filhas do casal também eram agredidas. Eles afirmaram ainda que, no dia do crime, a investigada foi brutalmente agredida e ameaçada, tendo agido em legítima defesa por temer por sua vida e de suas filhas. Kátia foi denunciada por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. No documento, o promotor de Justiça Cláudio Braga Lima, aponta que, de forma não esclarecida devido ao tempo de decomposição do cadáver, Kátia conseguiu imobilizar e amarrar a boca, pernas e mãos de Joel para trás, e em seguida, deu vários golpes em sua cabeça. Em outro momento, para assegurar sua morte, ela deu várias facadas em seu tórax. Consta ainda no documento que a vítima e a denunciada mantiveram, por 18 anos, um relacionamento conturbado, com histórico de comportamento agressivo por parte de Joel. Na residência da família viviam as duas filhas menores do casal, e uma terceira filha apenas de Kátia, que não estavam na residência no momento do crime.


Mulher confessa ter matado marido e enterrado corpo há 2 anos no jardim de casa, em Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Por Millena Barbosa, TV Anhanguera