103419939_2703858683219079_3930321760858

Deputado Lazinho da Fetagro critica baixo preço do leite pago aos produtores rurais

Deputado defende redução de benefícios aos laticínios e apoio aos produtores, para reduzir prejuízos


O baixo preço do leite pago aos produtores rurais, por parte dos laticínios, voltou a ser criticado pelo deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), na sessão ordinária da tarde desta terça-feira (05), da Assembleia Legislativa, via vídeo conferência.

"Há 20 anos que acompanho essa luta, como produtor e como sindicalista e agora como deputado. Já apresentei várias propostas, como a redução do ICMS, revisão no incentivo fiscal e a destinação de 1% do Pro-Leite aos produtores. Ao meu ver, são algumas das alternativas para corrigir essa injustiça no preço do leite que é pago aos produtores", disse Lazinho.

Segundo o deputado, "essas são ações que podem ser canalizadas para reduzir os prejuízos. Ao invés de dar incentivo às empresas, vamos distribuir aos produtores rurais, para reduzir as perdas. Sem matéria prima, não tem laticínio. Precisa ter boa vontade, decidir a fazer e fazer. Já fizemos várias ações no passado e o cenário não muda. A cadeia produtiva está se deteriorando, infelizmente".

Para Lazinho, "há um cartel sim dos laticínios em Rondônia. Que esta Casa possa buscar alternativas para retirar um pouco desses benefícios das empresas e dar melhores condições para os produtores de leite. O Governo pode distribuir um pouco do que ganha ou do que dá para as empresas, para os produtores. Não dá para continuar, vai parar o setor".

Saúde

Por fim, Lazinho da Fetagro alertou para o elevando número de servidores da saúde infectado pelo Coronavírus, na rede pública estadual.

"Alguma coisa está errada: em números relativos, há um elevado índice de infectados entre os servidores da saúde. Ao meu ver, isso é fruto da falta de capacitação para lidar com essa pandemia, falta de equipamentos e de outros fatores que possam contribuir com a proteção dos servidores. O Governo precisa dar as melhores condições de trabalho a quem está se doando para salvar vidas", finalizou.

Texto: Eranildo Costa Luna-ALE/RO

Foto: Marcos Figueira-ALE/RO

0 visualização