103419939_2703858683219079_3930321760858

Nível do Madeira causa preocupação


O nível do Rio Madeira continua subindo e começa a preocupar as autoridades.

O nível do rio Madeira atingiu ontem 13,75 metros e, de acordo com o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), é provável que em Rondônia chova acima da média nos próximos dias devido ao fenômeno natural La Niña. Com o aumento na vazão dos rios da região aumenta receio de que uma enchente maior se torne realidade. Caso o rio Madeira atinja a cota de 14 metros a situação entrará em alerta emergencial. Na manhã de ontem o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, acompanhado do chefe da Defesa Civil Municipal, Marcelo Santos, e do chefe da Defesa Civil Estadual, coronel Chianca, sobrevoaram, de helicóptero, algumas das regiões ribeirinhas que estão na área de risco de enchentes, dentre as quais os distritos de Nazaré e São Carlos. Com base na constatação da situação será elaborado o plano de contingência.

No trecho da BR-364 entre Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC), de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o tráfego de veículos continua normal, sem bloqueios ou desvios. O problema fica por conta da erosão no km 876 da BR-364 onde, segundo a PRF, a situação já está sendo controlada por meio de ação integrada do Dnit, da Defesa Civil Municipal e do Consórcio Jirau.

A erosão ameaça avançar sobre a rodovia na localidade conhecida como “Velha Mutum”, distante 165 quilômetros da capital de Rondônia. O diretor da Defesa Civil Municipal, Marcelo dos Santos, disse que, por conta das fortes chuvas na região, parte da margem da rodovia começou a ceder. “Constatamos sérios danos em uma extensão de 150 metros do lado esquerdo da pista. Além das constantes chuvas, o trânsito de veículos pesados ajudou a desestabilizar a lateral da pista, fazendo com que o solo cedesse”, afirmou Santos.

Risco de inundação acontece aos 17m

É notória uma elevação acima da média que o rio Madeira apresenta em comparação com os anos anteriores e a BR-364 já mostra os sinais provocados pela força das águas. O risco de inundação conta a partir dos 17 metros, algo que tem deixado as autoridades em alerta. Para os moradores que necessitam da rodovia para se locomover fica o sentimento de apreensão, como explica o segurança Aldemir Fernandes, que mora em Guajará Mirim e estacionou o carro para analisar o nível do rio. “Como está chovendo muito na cabeceira da Bolívia, a cidade de Guajará e o Acre vamos ficar isolados de novo, e quem sofre somos nós que precisamos fazer essa travessia constantemente”. Segundo dados da CPRM, o nível do rio atualmente está oscilando entre 13,75 metros, com estado de alerta para uma nova cheia ao chegar aos 14 metros, se o nível continuar a subir o alerta máximo, segundo a Defesa Civil, é de 15 metros e o risco de inundação se inicia aos 17 metros. Na grande cheia de 2014 o nível do rio Madeira ultrapassou os 19 metros. O diretor da Defesa Civil Municipal informou que o órgão segue fazendo o monitoramento contínuo no Alto, Médio e Baixo Madeira, verificando o nível do rio e a situação das famílias que poderão ser impactadas no caso de uma nova grande enchente. (Jaylson Vasconcelos)

Situação causa apreensão

Embora o tráfego de veículos esteja normal, o governo do Acre já iniciou a execução de medidas preventivas e estudos para atuação em caso de enchente. O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Carlos Batista, realizou vistoria in loco dos trechos mais vulneráveis da rodovia afetados na alagação de 2014. “Comparado aos anos anteriores, neste ano, o nível do Madeira está um pouco elevado, em decorrência das chuvas na cabeceira, mas a situação permanece estabilizada”, salientou Batista. Ontem, a governadora em exercício Nazareth Araújo manteve contato telefônico com o superintendente de Operações e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas (ANA), Joaquim Gondim, para falar sobre o monitoramento e ações do Governo Federal de forma preventiva caso o rio Madeira venha a transbordar e atinja a BR-364. (Governo do Acre)

Por Ana Kézia GomesDIÁRIO DA AMAZÔNIA


0 visualização